Uma mudança de abordagem

Até aqui nós temos trabalhado a questão da divindade de Jesus Cristo nos evangelhos, particularmente no de Marcos, concentrando-nos naquilo que o livro deseja passar eventualmente ao leitor em termos de cristologia (a doutrina sobre Cristo, tal como defendida pela igreja antiga). Dessa forma, tantos nas postagens como em todos os ensaios, nós fazíamos um […]

INDICADORES DE DIVINDADE EM MARCOS

É de conhecimento geral a crítica – bastante justa, por sinal – de que João editorializou por demais o seu evangelho, para apresentar a Jesus como o filho de Deus no sentido próprio, ontológico, isto é, o filho natural de Javé. No entanto, se conseguirmos desvincular do evangelho de Marcos essa crítica à obra joanina […]

Traçando um paralelo secular

O modo como o grande dramaturgo nacional, Nelson Rodrigues, delineia os seus personagens tem algo em comum com o dos evangelistas: a concisão funcional. Diz Magaldi (p. 15), maior comentador da obra rodriguiana: “As personagens são talhadas com economia descritiva, oferecendo de si a imagem que aproveitará o todo dramático. Assim, importa de cada uma apenas […]

Jesus como o senhor do Cosmos

No pensamento cristão primitivo, uma das glórias que cabem a Jesus é o domínio do Cosmos, na trilha do Salmo 8. Paulo é o primeiro a esboçar essa visão em I Co 15: 27; Fp 3: 21 – ou, pelo menos, são dele as primeiras menções que temos nesse sentido. Como o NCBSJ observa [82: […]

Da divindade de Jesus e o Credo de Niceia (ou, sobre a Shemá e Paulo)

Comentando sobre o Credo Niceno, o teólogo Kevin Giles analisa a sua primeira sentença em termos muito reveladores da divindade de Jesus, considerando-se a judaicidade de um homem como Paulo. (1) “Primeiro, ‘Nós cremos em um só Senhor, Jesus Cristo’. Estas palavras refletem exatamente I Coríntios 8: 6. Neste versículo, como todos sabem, Paulo declara […]

O sentido referencial das parábolas de Jesus

Diversas parábolas proferidas por Jesus Cristo devem ser entendidas no sentido autorreferente – aquele que revela alguma faceta do seu  Ser, de sua missão, tal como Jesus mesmo se via.  Vejamos, por exemplo, o teor autorreferente das parábolas da ovelha e da dracma perdidas. Elas mostram inicialmente Jesus sendo questionado moralmente pelos escribas, por sua associação […]